From 1 - 10 / 12
  • Categories  

    A Base Contínua de Geomorfologia do Brasil, parte integrante do Banco de Dados e Informações Ambientais (BDIA), é um produto do projeto Mapeamento de Recursos Naturais do IBGE que, em sua constituição, inclui também as bases de dados de Geologia, Pedologia e Vegetação, ajustados à Base Cartográfica Contínua do Brasil na escala 1:250 000 (BC250). Reúnem-se aqui feições de relevo que, em função da escala do mapeamento, não podem ser representadas por polígonos, mas são expressas por símbolos lineares que fornecem sua orientação e localização, acrescentando plasticidade à representação cartográfica. Os símbolos lineares foram adaptados da simbologia proposta no Manual Técnico de Geomorfologia (2a. edição). Os símbolos lineares representam feições isoladas e estreitas (uma crista, por exemplo) cuja área não comporta o contorno como um polígono ou, então, podem ser elementos de destaque no contato entre polígonos (como escarpas e ressaltos) ou como realce de um lineamento importante no interior de um polígono (como uma linha de cumeada). Esta camada intermediária de apoio viabiliza a consulta de feições de Formas de Relevo Lineares da Base Contínua de Geomorfologia do Brasil por limites dos Municípios (BC250 - Versão 2019).

  • Categories  

    A Base Contínua de Geomorfologia do Brasil, parte integrante do Banco de Dados e Informações Ambientais (BDIA), é um produto do projeto Mapeamento de Recursos Naturais do IBGE que, em sua constituição, inclui também as bases de dados de Geologia, Pedologia e Vegetação, ajustados à Base Cartográfica Contínua do Brasil na escala 1:250 000 (BC250). Reúnem-se aqui feições de relevo que, em função da escala do mapeamento, não podem ser representadas por polígonos, mas são expressas por símbolos lineares que fornecem sua orientação e localização, acrescentando plasticidade à representação cartográfica. Os símbolos lineares foram adaptados da simbologia proposta no Manual Técnico de Geomorfologia (2a. edição). Os símbolos lineares representam feições isoladas e estreitas (uma crista, por exemplo) cuja área não comporta o contorno como um polígono ou, então, podem ser elementos de destaque no contato entre polígonos (como escarpas e ressaltos) ou como realce de um lineamento importante no interior de um polígono (como uma linha de cumeada). Esta camada intermediária de apoio viabiliza a consulta de feições de Formas de Relevo Lineares da Base Contínua de Geomorfologia do Brasil por limites dos Biomas (versão 2019).

  • Categories  

    A Base Contínua de Geomorfologia do Brasil, parte integrante do Banco de Dados e Informações Ambientais (BDIA), é um produto do projeto Mapeamento de Recursos Naturais do IBGE que, em sua constituição, inclui também as bases de dados de Geologia, Pedologia e Vegetação, ajustados à Base Cartográfica Contínua do Brasil na escala 1:250 000 (BC250). Tratam-se de símbolos pontuais que assinalam caracterizações pormenorizadas da paisagem ou descrições detalhadas das formações superficiais ou pacotes de alteritos observados em cortes nas estradas ou exposições rochosas intemperizadas de interesse para a explicação da gênese do relevo ou que se encontram submetidos a interferências antrópicas, comprometendo o equilíbrio da paisagem. Utilizou-se simbologia específica adaptada do Manual Técnico de Geomorfologia (2a. edição). Esta camada intermediária de apoio viabiliza a consulta de feições de Pontos de Campo da Base Contínua de Geomorfologia do Brasil por limites dos Municípios (BC250 - Versão 2019).

  • Categories  

    A Base Contínua de Geomorfologia do Brasil, parte integrante do Banco de Dados e Informações Ambientais (BDIA), é um produto do projeto Mapeamento de Recursos Naturais do IBGE que, em sua constituição, inclui também as bases de dados de Geologia, Pedologia e Vegetação, ajustados à Base Cartográfica Contínua do Brasil na escala 1:250 000 (BC250). Tratam-se de símbolos pontuais que assinalam caracterizações pormenorizadas da paisagem ou descrições detalhadas das formações superficiais ou pacotes de alteritos observados em cortes nas estradas ou exposições rochosas intemperizadas de interesse para a explicação da gênese do relevo ou que se encontram submetidos a interferências antrópicas, comprometendo o equilíbrio da paisagem. Utilizou-se simbologia específica adaptada do Manual Técnico de Geomorfologia (2a. edição). Esta camada intermediária de apoio viabiliza a consulta de feições de Pontos de Campo da Base Contínua de Geomorfologia do Brasil por limites das Unidades da Federação (BC250 - Versão 2019).

  • Categories  

    A Base Contínua de Geomorfologia do Brasil, parte integrante do Banco de Dados e Informações Ambientais (BDIA), é um produto do projeto Mapeamento de Recursos Naturais do IBGE que, em sua constituição, inclui também as bases de dados de Geologia, Pedologia e Vegetação, ajustados à Base Cartográfica Contínua do Brasil na escala 1:250 000 (BC250). Reúnem-se aqui feições de relevo que, em função da escala do mapeamento, não podem ser representadas por polígonos, mas são expressas por símbolos lineares que fornecem sua orientação e localização, acrescentando plasticidade à representação cartográfica. Os símbolos lineares foram adaptados da simbologia proposta no Manual Técnico de Geomorfologia (2a. edição). Os símbolos lineares representam feições isoladas e estreitas (uma crista, por exemplo) cuja área não comporta o contorno como um polígono ou, então, podem ser elementos de destaque no contato entre polígonos (como escarpas e ressaltos) ou como realce de um lineamento importante no interior de um polígono (como uma linha de cumeada). Esta camada intermediária de apoio viabiliza a consulta de feições de Formas de Relevo Lineares da Base Contínua de Geomorfologia do Brasil por limites das Unidades da Federação (BC250 - Versão 2019).

  • Categories  

    A Base Contínua de Geomorfologia do Brasil, parte integrante do Banco de Dados e Informações Ambientais (BDIA), é um produto do projeto Mapeamento de Recursos Naturais do IBGE que, em sua constituição, inclui também as bases de dados de Geologia, Pedologia e Vegetação, ajustados à Base Cartográfica Contínua do Brasil na escala 1:250 000 (BC250). Tratam-se de símbolos pontuais que assinalam caracterizações pormenorizadas da paisagem ou descrições detalhadas das formações superficiais ou pacotes de alteritos observados em cortes nas estradas ou exposições rochosas intemperizadas de interesse para a explicação da gênese do relevo ou que se encontram submetidos a interferências antrópicas, comprometendo o equilíbrio da paisagem. Utilizou-se simbologia específica adaptada do Manual Técnico de Geomorfologia (2a. edição). Esta camada intermediária de apoio viabiliza a consulta de feições de Pontos de Campo da Base Contínua de Geomorfologia do Brasil por limites dos Biomas (versão 2019).

  • Categories  

    A Base Contínua de Geomorfologia do Brasil, parte integrante do Banco de Dados e Informações Ambientais (BDIA), é um produto do projeto Mapeamento de Recursos Naturais do IBGE que, em sua constituição, inclui também as bases de dados de Geologia, Pedologia e Vegetação, ajustados à Base Cartográfica Contínua do Brasil na escala 1:250 000 (BC250). Reúnem-se aqui feições de relevo que, em função da escala do mapeamento, não podem ser representadas por polígonos. São, portanto, expressas por símbolos pontuais, adaptados do Manual Técnico de Geomorfoflogia (2a. edição). Destaca-se que, em função da escala, feições morfológicas que teriam representação cartográfica muito pequena foram transformadas em símbolos pontuais indicando o local de sua ocorrência. Esta camada intermediária de apoio viabiliza a consulta de feições Formas de Relevo Pontuais da Base Contínua de Geomorfologia do Brasil por limites dos Municípios (BC250 - Versão 2019).

  • Categories  

    A Base Contínua de Geomorfologia do Brasil, parte integrante do Banco de Dados e Informações Ambientais (BDIA), é um produto do projeto Mapeamento de Recursos Naturais do IBGE que, em sua constituição, inclui também as bases de dados de Geologia, Pedologia e Vegetação, ajustados à Base Cartográfica Contínua do Brasil na escala 1:250 000 (BC250). Reúnem-se aqui feições de relevo que, em função da escala do mapeamento, não podem ser representadas por polígonos. São, portanto, expressas por símbolos pontuais, adaptados do Manual Técnico de Geomorfoflogia (2a. edição). Destaca-se que, em função da escala, feições morfológicas que teriam representação cartográfica muito pequena foram transformadas em símbolos pontuais indicando o local de sua ocorrência. Esta camada intermediária de apoio viabiliza a consulta de feições Formas de Relevo Pontuais da Base Contínua de Geomorfologia do Brasil por limites das Unidades da Federação (BC250 - Versão 2019).

  • Categories  

    A Base Contínua de Geomorfologia do Brasil, parte integrante do Banco de Dados e Informações Ambientais (BDIA), é um produto do projeto Mapeamento de Recursos Naturais do IBGE que, em sua constituição, inclui também as bases de dados de Geologia, Pedologia e Vegetação, ajustados à Base Cartográfica Contínua do Brasil na escala 1:250 000 (BC250). Reúnem-se aqui feições de relevo que, em função da escala do mapeamento, não podem ser representadas por polígonos. São, portanto, expressas por símbolos pontuais, adaptados do Manual Técnico de Geomorfoflogia (2a. edição). Destaca-se que, em função da escala, feições morfológicas que teriam representação cartográfica muito pequena foram transformadas em símbolos pontuais indicando o local de sua ocorrência. Esta camada intermediária de apoio viabiliza a consulta de feições Formas de Relevo Pontuais da Base Contínua de Geomorfologia do Brasil por limites dos Biomas (versão 2019).

  • Categories  

    A Base Contínua de Geomorfologia do Brasil, parte integrante do Banco de Dados e Informações Ambientais (BDIA), é um produto do projeto Mapeamento de Recursos Naturais do IBGE que, em sua constituição, inclui também as bases de dados de Geologia, Pedologia e Vegetação, ajustados à Base Cartográfica Contínua do Brasil na escala 1:250 000 (BC250). Reúnem-se aqui feições de relevo que, em função da escala do mapeamento, não podem ser representadas por polígonos. São, portanto, expressas por símbolos pontuais, adaptados do Manual Técnico de Geomorfoflogia (2a. edição). Destaca-se que, em função da escala, feições morfológicas que teriam representação cartográfica muito pequena foram transformadas em símbolos pontuais indicando o local de sua ocorrência.