From 1 - 10 / 293
  • Categories  

    O Guia orienta o usuário sobre as formas de utilização do novo programa de transformação de coordenadas – ProGriD.

  • Categories  

    Este Manual orienta o usuário sobre as formas de instalação do novo programa de transformação de coordenadas – ProGriD.

  • Categories  

    Este documento tem como objetivo apresentar uma análise de qualidade dos arquivos de dados das observações GPS produzidos entre os anos de 2006 e 2010 pelas estações da RBMC. Para subsidiar esta análise são apresentados gráficos com indicadores de qualidade destes dados. Também serão apresentadas informações relevantes sobre a implantação e funcionamento da RBMC, como equipamentos, estruturas e configurações empregadas.

  • Categories  

    Este relatório tem por objetivo informar sobre as atividades relativas ao ajustamento da Rede Planimétrica Brasileira no Referencial SIRGAS2000[IBGE, 2006], incluindo os avanços realizados desde o ajuste em 1996. Em decorrência da proposta de adoção do SIRGAS2000 como sistema geodésico de referência do país, o IBGE efetuou o ajustamento da Rede Planimétrica Brasileira neste novo sistema, tendo incluído todas as observações e estações adicionadas após 1996.

  • Categories  

    A primeira edição da revista Ponto de Referência se propõe a estreitar o contato da sociedade brasileira com temas relacionados ao SIRGAS2000, novo sistema geodésico de referência adotado oficialmente no Brasil em 25 de fevereiro de 2005. A adoção do SIRGAS2000 é resultado das atividades desenvolvidas no âmbito do Projeto Mudança do Referencial Geodésico – PMRG (http://www.ibge.gov.br), criado em outubro de 2000 no 1º Seminário sobre Referencial Geocêntrico no Brasil, que conta com a participação de representantes de várias instituições do país. Desde o final de 2004 o desenvolvimento do PMRG tem o apoio da Universidade de New Brunswick – UNB do Canadá, a partir da assinatura de uma cooperação de quatro anos, sob os auspícios da Agência Canadense de Cooperação Internacional - CIDA e da Agência Brasileira de Cooperação - ABC, materializada pelo Projeto de Infra-Estrutura Geoespacial Nacional – PIGN (http://www.pign.org). Um dos principais focos do PIGN é a comunicação com os usuários e esta revista é fruto desses esforços.

  • Categories  

    Representar graficamente a Rede Altimétrica do Sistema Geodésico Brasileiro, ou seja, a distribuição das estações geodésicas altimétricas no Estado a Bahia.

  • Categories  

    Este documento tem como objetivo apresentar informações relativas aos 15 anos de implantação, desenvolvimento, evolução e operação da RBMC. O mesmo complementa outros três relatórios de análise de qualidade dos dados que foram elaborados e divulgado ao longo do ano de 2011.

  • Categories  

    Desde 2005, o Sistema de Referência Geocêntrico para as Américas – SIRGAS, na sua realização 2000, tornou-se oficialmente o novo sistema de referência geodésico para o Brasil, conforme publicado na Resolução do Presidente do IBGE, R.PR-1/2005. Por se tratar de um sistema de referência preciso e com origem no centro de massa da Terra, a componente temporal passou a ser um fator importante para a sua manutenção. Fatores como terremotos, movimento de placas litosféricas, subsidência de solo, influenciam na posição de cada uma das estações que materialização esse sistema, e, portanto, devem ser monitoradas.

  • Categories  

    Este documento tem como objetivo apresentar uma análise de qualidade dos arquivos de dados das observações GPS produzidos entre os anos de 2001 e 2005 pelas estações da RBMC. Para subsidiar esta análise são apresentados gráficos com indicadores de qualidade destes dados. Também serão apresentadas informações relevantes sobre a implantação e funcionamento da RBMC, como equipamentos, estruturas e configurações empregadas.

  • Categories  

    Para o posicionamento vertical em regiões costeiras, a utilização das altitudes do Sistema Geodésico Brasileiro (SGB) apresenta dificuldades específicas. O nível do mar local é um elemento crítico para a realização bem sucedida de obras costeiras, mas muitas vezes sua relação com os data verticais do SGB é desconhecida. A situação mais comum envolve também a caracterização do regime local das marés, pois o usuário deseja um nível de referência mínimo ou máximo, e não um valor médio. Além dos níveis de referência mais utilizados no litoral brasileiro e sua relação aproximada com os data de Imbituba e Santana, o texto apresenta a Rede Maregráfica Permanente para Geodésia (RMPG), concebida e operada pelo IBGE para refinar as altitudes do SGB.